Primeiro encontro de toda a Seagri ressalta o potencial do agronegócio

Text Resize

-A +A

Compartilhar

11/07/2019

O secretário da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), Lucas Costa, que assumiu a pasta em fevereiro deste ano, reuniu nesta quinta-feira, 11, no auditório, todo o corpo técnico de servidores, coordenadores, diretores e superintendentes da secretaria e de seus órgãos vinculados – a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e a Bahia Pesca.

Foi a primeira vez que o secretário reuniu toda a equipe para falar da importância fundamental que cada um tem para, em conjunto, fazer com que o trabalho de toda a secretaria possa ser realizado com excelência para, assim, fortalecer ainda mais o agronegócio da Bahia. Ele lembrou a missão dada pelo Governador Rui Costa para impulsionar as atividades agropecuárias do Estado e gerar ainda mais riquezas, empregos, alimentos, divisas e desenvolvimento econômico e social.

O secretário apresentou a todos o chefe de gabinete da Seagri, Wesley Faustino; o superintendente de Política do Agronegócio, Marcílio Menezes; o superintendente de Desenvolvimento Agropecuário, Adriano Bouzas; o diretor-geral da Adab, Maurício Bacelar e o diretor-presidente da Bahia Pesca, Marcelo Oliveira. Cada um fez uma breve apresentação das ações desenvolvidas em sua área, e os novos gestores fizeram um balanço dos objetivos e metas de suas instituições.

"Hoje reuni a grande família Seagri pela primeira vez. Foi muito bom poder ver o auditório cheio e falar sobre a situação atual da produção agropecuária do nosso Estado com todos os nossos servidores. Meus amigos da Adab, da Bahia Pesca e eu apresentamos um balanço do muito que fizemos até agora e do planejamento futuro. E iremos fazer muito mais, com uma gestão integrada e ações conjuntas para alavancar ainda mais as nossas produções rurais. Somos uma só secretaria trabalhando na mesma direção: fortalecer mais ainda as produções agrícola, agropecuária e aquícola de nosso Estado", afirmou o secretário.

"Muito me orgulha ver o quanto o agronegócio é pujante e crescente na nossa terra, e o quanto gera de empregos, riquezas, alimentos e desenvolvimento econômico e social em nosso Estado. A Bahia é agro e o agronegócio baiano nessa terra especial cresce mais do que o do resto do país. E não tenham dúvidas de que irá crescer muito mais", declarou Lucas Costa.

Em uma parte da apresentação, ele enalteceu a Fruticultura Irrigada no Vale do Rio São Francisco, no sertão baiano, que faz da Bahia o maior produtor de diversas frutas, com todo um desenvolvimento econômico ao redor. "É o agronegócio alimentando as pessoas e gerando riquezas e empregos pro nosso Estado e pro nosso país", lembrou ele. 

As produções agrícolas e agropecuárias empresariais da Bahia representam hoje a atividade econômica mais importante do Estado. O agronegócio gera cerca de um quarto de todas as riquezas produzidas, ou 23,5% do Produto Interno Bruto (PIB), o que equivale a R$ 60,7 bilhões. Este valor é o dobro das riquezas geradas na atividade comercial e superior ao PIB industrial, que representa 22,2% da economia do Estado.

Com a maior população rural do país, o agronegócio também é responsável por 32% dos empregos gerados no Estado e por 42% de todas as exportações. Com cinco biomas distintos, solos férteis, boa luminosidade o ano inteiro e farta abundância de recursos naturais, os produtos de origem vegetal e animal da Bahia possuem uma qualidade de alto padrão. A Bahia é uma potência agrícola, e o agronegócio do Estado é um dos maiores do país.

O Estado é o maior produtor de cacau do país, e também de coco, banana, mamão, manga, guaraná, maracujá, melancia, feijão. Produzimos o melhor algodão do mundo, e mais toneladas e mais toneladas de cana de açúcar, milho, soja, sorgo, sisal, café Arábica e Canephora, fumo, abacaxi, goiaba, laranja, limão, tangerina, maracujá, melancia, melão, uva, amendoim, dendê, borracha e mandioca.

Tem ainda o maior rebanho de caprinos (cabras e bodes) e ovinos (cordeiro, carneiro e ovelhas) do país, e está entre os maiores produtores de bubalinos (búfalos), equinos, aves, suínos e bovinos, com produção de carne e de leite.

 

Ascom Seagri

Letícia Belém

Fotos: William Sálli/ Seagri