Secretário mostra a importância do agronegócio na capital da pecuária

Text Resize

-A +A

Compartilhar

06/06/2019
Ascom Seagri
Area de Interesse 
Agronégocio

O secretário da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), Lucas Costa, abriu o 2º Encontro da Carne na Bahia com o tema “A Bahia é Agro”, na última quarta-feira (05) pela manhã, no campus de Itapetinga da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

A convite do Departamento de Tecnologia Rural e Animal da Uesb, o secretário proferiu a palestra de abertura para uma plateia composta por criadores, produtores, pesquisadores, consumidores, representantes de empresas da cadeia produtiva da carne e leite, de órgãos governamentais e estudantes.

O secretário, que também é agrônomo e pecuarista, falou que a Bahia é o estado brasileiro que possui a maior população rural do país – 26% dos seus moradores vivem e trabalham no campo. O Sudoeste Baiano sempre teve uma vocação natural para a pecuária, com grandes fazendas e um número expressivo de criadores rurais com rebanhos significativos.

Costa mostrou a grande importância da produção de carne e de leite da região para a economia do estado. O agronegócio representa 25% da economia da Bahia e do país, movimenta R$ 30,8 bilhões no estado e gera 181 mil empregos diretos e indiretos. A produção direta da agropecuária baiana corresponde a R$ 17,8 bilhões. O setor é responsável por 51% das exportações estaduais. O Sudoeste é a região como maior número de rebanhos de gado de corte e de leite na Bahia. Em Itapetinga, que mantém há décadas o título de Capital da Pecuária, o boi faz parte da cultura da cidade. “Temos um polo de produção de conhecimento em Zootecnia, Engenharia e Ciência de Alimentos, Tecnologia e Ciência da Carne na Uesb. É importante que os produtores rurais conheçam as pesquisas e tecnologias desenvolvidas dentro da universidade, e a Seagri irá facilitar com que isso aconteça”, afirmou o secretário, que fez na Uesb o seu mestrado em Zootecnia e o doutorado e o pós-doutorado em Produção de Ruminantes, além de dominar inovações tecnológicas na pecuária.

 

Pesquisas podem aumentar a competitividade da produção da carne na Bahia

 

Para ele, a região tem um potencial muito grande de aumento do agronegócio, com crescente aumento da demanda de alimentos para consumo interno e exportação. A Seagri apoia o desenvolvimento da atividade no estado, fazendo a articulação entre diversos órgãos, setores e agentes envolvidos para estimular a cadeia produtiva da carne, receber as demandas dos produtores em relação aos seus rebanhos e obter soluções para os gargalos da atividade agropecuária na Bahia.  Com o acesso às inovações sendo facilitados para os produtores pela secretaria, pretende-se aumenta a competitividade da agropecuária baiana e fomentar a realização de negócios.

O evento, que segue até esta sexta-feira (7), reúne pesquisadores e representantes de toda a cadeia produtiva das carnes suína, caprina, ovina, bovina, aves, pescados e carnes consideradas exóticas. 

O Brasil coloca-se entre os mais importantes produtores de carne do mercado mundial. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2017 mostram que a Bahia é o único estado com um rebanho de tamanho significativo (pouco mais de 10 milhões de cabeças), ocupando a nona posição no ranking nacional.

Ascom Seagri

Exibir no Canal do Agroinvestidor? 
0