Cooperação técnica entre Cemaden e Seagri amplia rede de dados agrometeorológicos da Bahia

Text Resize

-A +A

Compartilhar

13/08/2015
Imprensa Seagri
Area de Interesse 
Agronégocio

Cooperação técnica entre Cemaden e Seagri amplia rede de dados agrometeorológicos da Bahia

 

A celebração da parceria entre governo da Bahia, através da Secretaria da Agricultura do Estado e governo Federal, por meio do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), foi divulgada durante o lançamento do Plano Safra 2015/2016, nesta quinta-feira (13), realizado no Othon Palace Hotel, em Salvador. O acordo de cooperação técnica visa obter dados pluviométricos, hidrológicos, agrometeorológicos, agronômicos, umidade e temperatura do solo, e geotécnicos, dentre outras informações. Esses dados são destinados a orientar os pequenos, médios e agricultores familiares da região semiárida na tomada de decisões com relação ao desenvolvimento das etapas da atividade agrícola, compreendida desde a preparação do solo para a semeadura, até a colheita, o armazenamento e o transporte de produtos.

“Esse trabalho de parceria fornecerá uma ferramenta fundamental para o planejamento agrícola do Estado, aumentando a estimativa de produção e evitando as perdas por adversidades climáticas”, ressalta o secretário estadual da Agricultura, Paulo Câmera. Os dados coletados nesses equipamentos serão enviados ao Cemaden, destinados ao monitoramento e alerta de risco de colapso de safras para agricultura familiar do semiárido.

A implantação de estações meteorológicas no Estado é fruto do trabalho conjunto entre governo do Estado, através da Seagri, Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA) e Casa Civil, e governo Federal, por meio dos ministérios de Agricultura//Instituto Nacional de Meteorologia (MAPA/INMET), e de Ciência, Tecnologia e Inovação/Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (MCTI/CEMADEN).

A ampliação da atual rede de monitoramento na Bahia será feita com a instalação pelo Cemaden de 213 estações automáticas, também denominadas de Plataformas de Coleta de Dados (PCD's), em municípios do semiárido baiano. Desse total, 34 são do tipo PCDAgros (que fazem medições de precipitação pluviométrica, temperatura e umidade do ar, temperatura e umidade do solo, velocidade e direção dos ventos, radiação solar global e saldo de radiação) e 179 do tipo PCDAqua (que fazem medições de precipitação pluviométrica e umidade do solo).

Dessas 213 estações metrológicas, 32 unidades já foram instaladas, e cinco equipes de técnicos estão em campo para instalar mais 77 até as próximas semanas. A previsão é que todas as estações estejam instaladas até o final de setembro.

Projeto Sistema de Previsão de Risco de Colapso de Safras no Semiárido Brasileiro

No monitoramento dos impactos das secas, a implantação do Projeto do Cemaden “Sistema de Previsão de Risco de Colapso de Safras no Semiárido Brasileiro” utilizará modelos agrometeorológicos integrados à rede de monitoramento de dados (dados meteorológicos e informações do solo), além de informações específicas dos cultivares e práticas de manejo. Isso contribuirá para a geração de indicadores para o monitoramento da seca agrícola, manejo dos riscos, previsão do risco do colapso de safras e aprimoramento dos sistemas de alerta.

No semiárido brasileiro, além da Bahia, o Cemaden está instalando PCDs Agro e PCDs Aqua também nos Estados de Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Minas Gerais. Para a implantação desse projeto, o Cemaden conta com a parceria das Ematers estaduais e dos serviços estaduais de monitoramento de meteorologia e de recursos hídricos.

 

 

Fonte:

Ascom Seagri com informações Ascom Cemaden 

Viviane Cruz – DRT-BA 4735 / Maria Rosário Orquiza

Tel.:(71)3115-2794/2737/2767/ 8718-2872